O futuro do emprego e o papel das IES: aspectos que exigem atenção

Natália Collor

Trabalho remoto e habilidades interpessoais se consolidam entre as principais tendências no mercado educacional

A maneira como a sociedade lida com o trabalho é algo em constante transformação. Nesse contexto, um dos desafios das instituições de ensino superior é se antecipar aos movimentos a respeito do futuro do emprego. Para compreender este cenário e preparar adequadamente os alunos a mercados altamente competitivos, é fundamental que as IES estejam em sintonia com as principais tendências.

Confira cinco aspectos que exigem atenção quando o assunto é o futuro do emprego:

1. Valorização das soft skills

Atualmente, muitas empresas buscam profissionais com capacidade de oferecer mais do que conhecimento técnico. Habilidades interpessoais como inteligência emocional, espírito de equipe e capacidade de dar e receber feedbacks vêm se tornando aspectos que contam pontos importantes em seleções e entrevistas

Se a vaga for para um cargo de liderança, por exemplo, a lista de requisitos como esses fica ainda maior. É papel das IES, portanto, fazer com que o desenvolvimento de soft skills seja abordado com destaque em seus planos pedagógicos.

2. Organização em home office

Trabalhar de casa já é realidade para muitos profissionais. E tudo indica que esse movimento se tornará ainda mais acentuado nos próximos anos. Desse modo, algumas empresas ficam com escritórios cada vez menores, inclusive por contarem com colaboradores que moram em diferentes cidades. A modalidade de trabalho remoto também elimina o tempo perdido com deslocamentos – um problema recorrente em grandes cidades. Mas ao contrário do que muitos imaginam, a modalidade exige grande senso de organização para funcionar. Sob o mesmo ponto de vista, as IES podem oferecer cursos de como estabelecer uma rotina e como organizar o espaço de trabalho em casa – entre outras possibilidades.


Leia também:
::
Como sua IES pode preparar os estudantes para o mercado de trabalho?
::
Descubra quais as expectativas dos jovens profissionais de hoje


3. Capacidade de adaptação

Se mudança é a única certeza do mercado de trabalho, é fundamental que cada pessoa desenvolva sua própria capacidade de adaptação. É possível, inclusive, que a carreira para a qual o aluno está se preparando deixe de existir em alguns anos. A solução, então, é adaptar o modelo de ensino da IES: forme pessoas capazes de resolver problemas e que consigam entender o negócio como um todo.

4. Visão empreendedora

Em síntese, ter espírito empreendedor é uma característica valorizada no mercado de trabalho. Quem tem visão de negócio, em geral, consegue liderar projetos disruptivos, sejam eles dentro ou fora de organizações – ou seja, tanto para a empresa quanto na vida pessoal. Em conclusão, o empreendedorismo deve estar entre os conteúdos abordados pela IES, independentemente do curso em questão. A instituição pode inclusive criar uma incubadora, criando um ambiente incentivador para que os estudantes tirem suas ideias do papel.

5. Conhecimento em tecnologia

Por fim, para muitos, dominar a tecnologia será o conhecimento mais valorizado no profissional do futuro. E isso não vale apenas para quem cursa graduações vinculadas à computação e informática. Hoje, qualquer área depende de inovação. Por isso, o futuro do emprego passa por conhecer a fundo as tecnologias disponíveis e saber usá-las da melhor maneira. Cabe às IES, portanto, a responsabilidade de desenvolver conhecimentos nas mais distintas tecnologias ainda durante a graduação.

Uma IES de ponta está atenta às tendências de cada carreira. Pensar o projeto pedagógico também com base no futuro do emprego é fundamental para formar profissionais de destaque.

Entenda melhor o por que de ter empregabilidade como pilar da sua IES. Baixe nosso e-book “Empregabilidade: 5 motivos para considerá-la um diferencial estratégico da sua IES”.

Deixe um Comentário