Central de Carreiras: conheça a experiência da PUCRS

Natália Collor

Ter uma central de carreiras que se mantenha conectada com as demais áreas estratégicas da IES é um desafio. Em uma reestruturação institucional, a PUCRS hoje tem como pilar estratégico a empregabilidade. Com ela, foi possível uma articulação para que toda a universidade passasse a atuar com o mesmo foco. Isso tem trazido impacto e resultados para toda a equipe e alunos envolvidos.

A experiência da PUCRS

A central de carreiras na PUCRS existe há cerca de oito anos. O setor era responsável por consultorias de carreiras a alunos e egressos. Com a reestruturação geral, o escritório passou a se chamar PUCRS Carreiras. A mudança não foi apenas no nome. O setor passou também a ser responsável pelo acompanhamento de estágios extracurriculares. Em breve, também responderá pelos estágios obrigatórios de toda a IES, além da continuidade dos serviços já prestados anteriormente.

Quer saber mais sobre empregabilidade? Baixe o e-book 5 motivos para considerá-la um diferencial estratégico da sua IES

Central de carreiras para toda a comunidade acadêmica

Daniela Boucinha é coordenadora do PUCRS Carreiras. Ela é psicóloga, especialista em Psicologia Organizacional, Mestre e Doutoranda em desenvolvimento de carreiras. Daniela conta que, com a expansão da estratégia e atuação da área, a equipe tem atendido não apenas os alunos matriculados na Instituição de forma gratuita, como também a comunidade, com a cobrança de uma pequena taxa.

Empregabilidade como norteador da central de carreiras

Dessa forma, a empregabilidade é norteador estratégico da central de carreiras e seu planejamento. E por meio dela, a instituição consegue uma aproximação maior com todos os setores e públicos da instituição. Mas como manter essa relação próxima com outros setores e vincular as demais estratégias da IES? Veja algumas dicas apontadas por Daniela com base na experiência da PUCRS:

Criação de um comitê gestor

Em resumo, mensalmente, são realizadas reuniões de planejamento estratégico do PUCRS Carreiras com pró-reitorias de graduação, extensão e assuntos comunitários. Isso possibilita um maior alinhamento e envolvimento das equipes em relação às decisões da área e ao pilar de empregabilidade.

Comitê apoiando retenção

O aumento da retenção de alunos, por exemplo, é um desafio compartilhado. Tanto o setor de carreiras quanto demais áreas da Instituição respondem por ele. Daniela aponta que, por ser um importante indicador institucional, o comitê costuma discutir frequentemente como fortalecer a instituição, a experiência acadêmica e profissional dos alunos e, por sua vez, como reduzir a evasão estudantil. Tanto por meio das estratégias de empregabilidade quanto outras iniciativas institucionais.

Leia também:
:: Fique por dentro de um dos maiores eventos de empregabilidade no mundo
:: Como conectar a central de carreiras às demais estratégias da IES

Conexão com o mercado de trabalho

O contato com o mercado de trabalho e empresas da região é outro diferencial no qual a PUCRS tem investido. O objetivo é trazer melhores resultados para a relação entre alunos e empregadores. Por exemplo, as feiras de profissões e de carreiras têm essa conexão. Elas acontecem anualmente, uma voltada para estudantes de Ensino Médio e outra para os próprios alunos matriculados na IES.

As feiras são, em resumo, uma boa forma da instituição se aproximar dessa relação, até mesmo com potenciais estudantes que ainda não tenham ingressado no ensino superior.

Aproximação e capacitação orientadas por carreiras

Ao invés de manter capacitações e palestras voltadas para toda a comunidade acadêmica, como era feito anteriormente, hoje a PUCRS promove workshops e eventos com pautas específicas para determinadas profissões e escolas dentro da IES. Por exemplo, um workshop voltado para construção de currículos para alunos da Escola Politécnica. Ou um evento sobre competências no mercado de trabalho para estudantes da Escola de Negócios. Com esse foco e segmentação, é possível ser mais assertivo com o público. E, ao mesmo tempo, engajar mais alunos para as ações presenciais de acordo com seu perfil e especificidades de carreira.

Engajamento das equipes

De acordo com Daniela, um dos pontos fortes dessa ação foi o trabalho e engajamento conjunto das equipes. Coordenadores, professores, decanos e a equipe de carreiras se envolvem não apenas na divulgação dos eventos, como também na construção do conteúdo deles. As palestras, que até então eram organizadas e apresentadas pela própria central de carreiras, passaram a ser promovidas em parceria. Setores como o de mobilidade acadêmica contribuem com assuntos relacionados a carreiras internacionais. O núcleo de pesquisa, por exemplo, aborda a carreira acadêmica. Esses são indicativos das diversas conexões que se fortaleceram a partir da estratégia integrada da IES.

Equipe dedicada a empregabilidade

Por fim, Daniela ainda destaca um outro ponto como diferencial. O mesmo serve também como uma dica para outras instituições que estão buscando fortalecer sua equipe de carreiras. Esse ponto é ter um time que não acumule funções de diversos setores. “Ter uma equipe dedicada para o serviço de carreiras e à estratégia de empregabilidade, e não apenas deslocar profissionais de outras áreas para essas funções, faz toda a diferença”, aconselha a psicóloga.

Somos especialistas na relação IES e empregabilidade. Este tema é importante para você e sua Instituição? Então conte conosco.

Deixe um Comentário

Sua IES já possui
um escritório
de carreiras?

Baixe nosso guia exclusivo com
dicas práticas para sua IES começar
a estruturar uma estratégia
de empregabilidade.